Notícias

Tio que foi preso após engravidar sobrinha de 11 anos é encontrado morto dentro da cela

Esse é mais um caso de violência doméstica que acabou terminando com uma grande tragédia. O homem que havia engravidado a sobrinha de apenas 11 anos de idade e estava preso, foi encontrado sem vida neste último sábado dia 5 de setembro.

O caso aconteceu no interior da Bahia na cidade de Ibotirama, e tem ganhado uma grande repercussão em todo o país através das redes sociais. Segundo relatos dos policiais o homem teria tirado sua própria vida dentro da cela que estava preso.

O Conselho Tutelar relatou que o caso do abuso veio à tona quando a menina de apenas 11 anos de idade deu à luz, o Conselho Tutelar foi acionado e apurou o caso chegando no suspeito pelo crime que era o próprio tio da vítima. As investigações começaram desde o dia 6 de Agosto, quando a criança deu à luz ao bebê.

A polícia relatou que o homem foi encontrado no chão sem vida por um funcionário da penitenciária que havia ido levar café da manhã para o preso, a perícia foi feita no local e tudo indica que ele mesmo tirou sua vida. Não sabemos qual o verdadeiro motivo do homem chegar a esse ponto estando preso, se foi somente sua consciência que pesou por tudo que ele havia cometido ou se foi alguma pressão interna que o homem não aguentou.

Vamos aguardar mais informações sobre o caso para saber realmente o que pode ter levado o homem a tirar sua própria vida, deixe nos comentários abaixo qual sua opinião sobre o caso. Se na sua visão o homem cometeu esse ato de desespero por arrependimento ou pode ser por outro motivo.

Compartilhe com todos os seus amigos e familiares para que eles também possam deixar suas opiniões e juntos chegarmos à uma explicação lógica pelo crime cometido.


1 comentário

  1. Por mais bárbaro que seja o crime cometido, NÃO há pena de morte no Brasil, portanto, não se pode matar como castigo. Quem assim agir, estará cometendo crime. Neste caso sob comentário, óbvio que se trata de um crime bárbaro que tem pena específica, e é os rigores dessa pena é que seria submetido o réu, até mesmo porque não se pode punir um criminoso com outro crime. Estando ele preso, sob custódia da polícia, evidente que esta tem a obrigação de justificar a morte ocorrida dentro de suas dependências. Nenhuma morte é sem vestígios, todas precisam de um instrumento para se consumar, uma perícia simplória pode e deve confirmar isso. NÃO SE COMBATE UM CRIME COMETENDO OUTRO CRIME.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.