Notícias

Revolta no sepultamento de grávida morta em Canelinha, comove à todos “Muita crueldade”

Na manhã deste sábado (29),o Brasil parou, familiares e amigos acompanharam o sepultamento da Flávia Godinho Mafra, uma mulher guerreira que lutou com todas as suas forças em um dos momentos mais difíceis da sua vida e infelizmente, não sobreviveu.

Um crime que gerou muito ódio e revolta nos corações daqueles que a conhecia e que compartilhavam da alegria que a Flávia tinha em viver e a esperança de ser mãe.

Flávia era um exemplo de mulher que se dedicava sempre em fazer o bem para as pessoas, em ajudar os necessitados e estava sempre disposta para qualquer pessoa que precisasse de uma mão amiga.

Relatos de amigos e vizinhos, informaram que até hoje ficaram sem entender o tamanho da crueldade que fizeram com a “Flavinha”.

Flávia Mafra, formada em pedagogia, grávida de 36 semanas, tem o seu sonho em ser mãe, interrompido de uma forma maléfica e brutal de uma forma macabra e assombrosa.

Flávia e duas amigas foram convidadas para um chá de bebê que acabou sendo cancelado horas antes e a Flavia não foi avisada e seguiu para o chá de bebê como tinha planejado.

Segundo a polícia, Flávia teria sido enganada por uma amiga que planejou todo o crime dois meses antes para poer mata-la e provavelmente ficar com a recém nascida.

A autora do crime, esta presa e em depoimento, informou, que o plano foi muito bem arquitetado e sem falhas para que pudesse desfrutar de toda a ação contra a vida de Flávia Mafra.

A PM, registrou maus tratos contra a recém nascida e cinco cortes sendo que um super profundo, os médicos chegaram a acreditar que o bebê não iria resistir à tantos ferimentos assim.

Flávia deixa marido, pai, mãe e uma recém nascida, amigos indignados, não conseguem se conformar diante a perda que sofreram. Flávia Mafra vai fazer falta, relata amigos e familiares.


Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.