Notícias

Pastor da Assembleia de Deus tira a própria vida e coube a esposa revelar os tristes detalhes: ”lutou até o fim”

Infelizmente o pastor José de Arimateia Sousa, não resistiu a luta contra grave doença e acabou cometendo suicídio, ele morava na cidade de Santa Inês, no estado do Maranhão. Ele tinha um cargo importante na congregação Assembleia de Deus Ceadema, o pastor lutava contra uma forte depressão.

Coube a esposa revelar que achou o marido morto na garagem da residência, após chegar de um culto com os filhos. José de Arimateia, deixa a mulher e um casal de filhos nesse mundo.

A psicóloga paranaense Marisa Lobo, ficou sabendo do caso pelas redes sociais e fez questão de comentar sobre o assunto, deixando um recado para todos.

“O tabu, o preconceito matam mais que a depressão. Mais um pastor tirou sua vida, triste, mas real, muitos estão pedindo socorro, mas o tabú prefere a morte. Muitos fanáticos ou ignorantes sobre o assunto criticam psicólogos e psicanalistas na igreja”, disse Marisa. “Transtorno mental é a doença dos últimos tempos, é o mal do século, precisamos ajudar e temos ferramentas para fazer isso” completa.

A psicóloga ressalta que depressão não tem nada a ver com a falta de Jesus na vida. “Tratar da depressão não é negar o poder de cura de Jesus, mas é organizar a mente , é tratar de uma doença como outra qualquer. Jesus cura, sara e liberta de várias maneiras dentre elas com auxílio médico, psicólogico”, afirmou. “Somos seres humanos, frageis, fracos, vendidos ao pecado, vivemos crises existências , temos esgotamento físico, psicológico… é normal”, acrescentou.

Para a psicóloga ainda existe um certo preconceito entre os pastores em relação ao tratamento da depressão. “Uns saem fácil [da depressão], outros fingem que saem para não frustrar as ovelhas, ou para não parecerem fracos, como se isso fosse vergonha. Sua doença mental o impede de ver e entender até mesmo a graça de Deus em suas vidas”, alertou.

Marisa, alerta os pastores para orientar seus membros a procurar ajuda médica em casos de forte depressão. “O que me revolta é que enquanto, lutamos para ajudar a igreja, muitos tentam nos difamar, desconstruir nosso trabalho que tem salvo muitas vidas, pela via do conhecimento da doença,ensinando estratégias de controle. Temos que entender que a depressão tem cura e controle. Muitas vezes é só um desequilíbrio hormonal, que quando tratado, a depressão vai embora”, destacou.

“Outras vezes pode ser decorrente de frustrações,medos, de uma triste história de vida, que podemos aprender a ressignificar com ajuda profissional”, acrescentou.

“Fico desesperada ao ver uma tragédia dessas acontecendo e alguns líderes ou blogueiros ignorantes não aceitando por preconceito a ajuda profissional. Pelo contrário, ainda nos atacam. A depressão afeta o ser humano em 4 dimensões BIO PSICO SOCIAL E ESPIRITUAL e deve ser tratada como tal”, finalizou.


Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.